CRIANÇAS NÃO CONSEGUEM PROCESSAR DIREITO O QUE VIVENCIAM